terça-feira, 27 de janeiro de 2009

Hoje quando lhe vi, olhando em minha direção, não pude suportar
a tristeza dos seus olhos grandes e negros.
Era dia de chuva, não te parecia importar com as muitas gotas vindas em seu rosto nem com o peso das roupas encharcadas, tremias no estranho frio em pleno verão da cidade na montanha.
Você é alguém que mescla caminhos confusos e expressões delicadas num sorriso melancólico com pontas de choro e voz rouca. Aflição tamanha, as vezes silênciosa.
E lá vai você, seguindo a vida em seu refúgio, na pequena casa em meio as árvores altas na ruazinha de terra e grama verde.
Uma aparente felicidade num cenário que esconde aflição e agonia no espírito.

6 comentários:

Clédson Miranda disse...

Olá, nobre André!

Venho lhe falar da alegria que sempre sinto ao ler o seu blog. Percebi que o blog do Xandy também foi adicionado por você... que bom, cara!

Quanto ao Transcendência, sugiro que refaça o link, pois eu tive problemas com alguém que tentou sabotar o meu blog e tive que mudar o endereço, que agora é http://neonopaisdamatrix.blogspot.com/. Por favor, atualize o link na cofiguração de acompanhamento do blog.

O Falando de Ciência e Coisas Afins também terá uma enorme honra em tê-lo como acompanhante. http://falandodecienciaecoisasafins.blogspot.com/ . Ele é fruto das inquietações semeadas pelo Márcio em minha cabeça.

Se tiver contato com ele, diga-lhe da atualização do link do Transcendência e da novidade do Falando de Ciência...!

Abraço, meu amigo

Anônimo disse...

Uau, fantástico esse texto!
by Nina

Alexandre Alves disse...

As vezes construimos aparentes felicidades, como vc relatou... Para esconder nossos medos. Mas escondê-los de quem? Por que?

Uma vez, num sarau, entre um gole de bebida e outro, um amigo meu me disse que o homem é um animal triste, pelo fato de usar a felicidade e não se permitir em vive-la.

Parabens. Leio textos assim e chego à conclusão de que estou no caminho certo.

Abraços.

Marquinhos disse...

Pow cara, muito bom esse texto.

Márcio disse...

Eu já lhe falei que vc tá escrevendo cada dia melhor? O post "Questão de essência", sobre o bonequinho de modelar, por exemplo, é formidável.

Como esses, muitos dos seus textos têm uma subjetividade imensa, com um conteúdo auto-referencial (mas sem se expor demais, pois nem sempre podemos saber exatamente quem são os personagens e as causas). Os melhores, diga-se de passagem, são assim.

Parabéns, continue nesse caminho!

Abraço!

Bad disse...

Perfeito!!!
As expressões nas palavras, a combinação em sequencia....tudo perfeito... ao final surpreende a doçura até em citar tristeza...
sensivelmente forte!
beijos....
Joana Francesa!