quinta-feira, 16 de julho de 2009

Desabafo

Estou triste. Muito triste.

Quando meu olhar e compreensão cresceu sobre o mundo passei a conviver com o pior
dessa sociedade de mazelas, terra de gente individualista onde o outro é descartável.

É triste ver o quão pouco nossa raça evolui nas coisas mais essenciais: "fraternidade, humanidade, ética, valores".
Uma vez alguém me disse que o mundo era assim, minha ingenuidade não quis acreditar. Poder, cobiça e maldade são traços marcantes dessa espécie involuída.

Estou triste, escrevendo palavras que para muita gente é mero clichê, mas que fazem um sentido tamanho na realidade.

Até quando o ser humano vai se limitar em mesquinharias? Quantas vezes o lixo vai precisar flutuar sobre as ruas? Quantas pessoas ainda precisam ter uma arma na cabeça? Quantos políticos vão precisar perder seus mandatos? Quantos homens vão precisar perder suas mulheres, quantas mães vão perder seus filhos? Até quando o homem vai se involuir para entender que não basta cuidar do próprio telhado para que as coisas realmente melhorem? Quando é que a maioria das pessoas vão entender o valor de ajudar uns aos outros?

Agradeço aos meus pais que em minha criação me ensinou a continuar cultivar a bondade, a ser ético e verdadeiro. Tenho de continuar a acreditar no ser humano, senão, nada mais tem sentido.

4 comentários:

Miss. Tério disse...

Ainda bem que você pensa assim...
Vez por outra, todos nós caímos nas armadilhas do mundo: TODOS. E tropeçamos na Ética. O bom é saber que contamos com outras pessoas para nos segurar durante o tropeço pra não deixar cair por coisas tão pequenas.
Beijos

Márcio disse...

Mais um misantropo em vista? (risos)

Se por um lado o mundo é nosso espelho (não somos nada sem o parâmetro que as outras pessoas nos oferecem), por outro lado temos a tendência de fazer refletir no mundo a nossa própria imagem. Algumas ações humanas são pra nós incompreensíveis e inacreditáveis porque somos incapazes de agir da mesma maneira, não porque tais ações são mesmo impossíveis.

O resultado é decepção e sentimento de indignação. Mas isso é bom: o dia em que pararmos de nos indignar com a podridão do mundo, será porque estaremos mergulhados nela.

Márcio disse...

Ah, sim, meu blog já tem três meses e vc ainda não pisou os pés lá! Que coisa feia! Olha o endereço aí:
http://blogapendice.blogspot.com/
ou clica no meu perfil.

Abração, Andrezão!

Danielle Freitas disse...

Tivemos a chance de vir ao mundo, foi nos dado o livre arbítrio e mesmo assim não agradecemos este presente de crescer como seres humanos, amando nossos irmãos, progredir nessa esfera que é nossa casa.
Preferimos pôr desordem, destruir, acabar com tudo.
Aí, eu pergunto: até quando?